Publicidade

TJD teria antecipado o julgamento de Nico para as vésperas do Gre-Nal.

Publicidade

Um dos principais motivos pelo qual o Internacional de Porto Alegre teve uma indignação publica com o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul, foi a anormalidade de datas das seções do órgão julgador.

Normalmente o TJD tem suas seções abertas, as terças-feiras, sendo que, neste caso especial do Nico Lopez, foi marcado pra quinta feira, véspera do clássico gaúcho, antecipando o que seria apenas na próxima terça. E Nico que já havia sido punido por dois jogos, foi novamente julgado, aumentando a pena pra quatro partidas.

Outro ponto causador de todos os problemas que envolveram Inter, Juventude e TJD-RS, foi que o treinador do adversário colorado Luiz Carlos Winck, não foi punido com suspensão, mesmo iniciando todo tumulto e apenas teve que pagar uma multa de quatro mil reais.

E o terceiro ponto, não menos importante, foi que, o próprio TJD ofereceu denuncia novamente no caso que já havia sido julgado e nesta primeira seção de julgamento, a promotoria entendeu que o Nico não tinha tocado no atleta do Juventude, por tanto, aplicar uma plena branda, seria o suficiente. Mas em um segundo julgamento, mudou de opinião.

Com todos esses fatos ocorridos nesses últimos dias, o presidente do Internacional Marcelo Medeiros resolveu, não usar os atletas titulares no Gre-Nal como forma de demostrar a insatisfação do clube colorado.

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas