Publicidade

Sócia do Fluminense entra na Justiça contra a Assembléia Geral

Evento, a princípio, ocorrerá no próximo dia 26

Publicidade

Marcada para o próximo dia 26 de janeiro, a Assembleia Geral Extraordinária do Fluminense, convocada pelo presidente Pedro Abad na qual será decidida a antecipação ou não das eleições de novembro, quando será definido o novo mandatário do Tricolor, corre o risco de não acontecer. Segundo informações dos portais Canal Flu News e Net Flu, no final da noite de quinta, a sócia Letícia Tavares Gomes entrou com uma ação na Justiça, pedindo o cancelamento do evento.

Em entrevista ao Net Flu, Ademar Barros, um dos advogados responsáveis pela ação, explicou as razões dessa medida tomada e acrescenta que outras ainda podem surgir.

“Essa é a primeira de algumas medidas judiciais que serão tomadas e não apenas em relação a AGE convocada para o dia 26/01/2019”, disse o jurista, que, nas últimas eleições, apoiou Celso Barros, curiosamente um dos atuais favoráveis à antecipação do pleito.

Ademar fez questão de dizer que a medida judicial não tem qualquer cunho político.

“Nesse caso específico estou atuando na condição de advogado pró-bono juntamente com o Dr. Bruno Freitas, um grande advogado e grande Tricolor também, representando uma associada, que assim como inúmeros outros, está tendo o seu direito de voto violado por mais uma irresponsabilidade e arbitrariedade do Presidente Pedro Abad”, frisou.

Por enquanto, a Assembleia Geral está mantida. Não houve declaração oficial por parte do Fluminense.

Por: Maximilian Pimenta

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas