Rejeição da torcida afasta Eduardo Barroca do Fluminense

Diretoria irá se reunir na próxima semana para tratar do assunto

No início da atual semana, surgiu a informação de que Eduardo Barroca, por ter um estilo de jogo similar a Fernando Diniz e uma amizade com o diretor-executivo do Fluminense, Paulo Angioni, era o favorito para assumir, em 2020, o comando-técnico da equipe das Laranjeiras. Essa possibilidade, no entanto, acabou gerando uma onda de insatisfação na torcida, levando a diretoria tricolor a praticamente descartar o investimento no ex-treinador do Botafogo e que, recentemente, levou o Atlético-GO de volta à elite do Campeonato Brasileiro.

Oficialmente, o presidente do Flu, Mário Bittencourt, juntamente com o departamento de futebol, só começará a busca por um novo treinador após reunião marcada para a semana que vem. Nomes como Odair Hellmann, Cuca e Jair Ventura também já foram especulados.

O nome de Barroca surgiu por conta de ele adotar um estilo de jogo similar a Fernando Diniz, treinador do Fluminense de janeiro até a derrota de 1 a 0 para o CSA, no Maracanã, pela 15ª rodada do Brasileirão, sendo substituído por Oswaldo de Oliveira, que permaneceu por apenas sete jogos, quando se desentendeu com o meia e craque do time, Paulo Henrique Ganso, e ofendeu um torcedor após o empate de 1 a 1 com o Santos, também no Maracanã.

Nessa reta final de temporada, Marcão vem sendo o treinador, mas, segundo informações de bastidores, no ano que vem, retornará à função de auxiliar-permanente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler mais sobre isso