Proposta chinesa seduz Dudu, mas Palmeiras não quer vender sem ter reposição

A proposta do Shandong Luneng (CHN) é considerada a melhor que Dudu já recebeu desde que chegou ao Palmeiras. Consequentemente, o atacante está mexido com a possibilidade de sair, mas o Verdão não aceitará facilmente. O clube considera que precisa encontrar um jogador no mercado para repor à altura o camisa 7, e sabe que as opções estão escassas.

Os chineses já mostraram a intenção de pagar 10 milhões de euros (R$ 45,4 milhões) ao Verdão, podendo até chegar a 12 milhões de euros (R$ 54,4 milhões) – o Palmeiras é dono de 100% dos direitos econômicos de Dudu.

O valor agrada a membros da diretoria, mas há a ressalva de que a negociação do camisa 7 agora prejudicaria o clube desportivamente, já que Keno foi vendido nesta janela de transferências. Hoje, o elenco tem para o ataque, além de Dudu, apenas Borja, Deyverson, Willian e Artur.

Como já fez mais de R$ 90 milhões em transações recentes (Daniel Fuzato, João Pedro, Tchê Tchê, Fernando e Keno), a condição financeira é confortável e não obriga o Palmeiras a necessariamente fazer o negócio.

A situação, em resumo, é essa: Dudu tem interesse em aceitar a oferta, mas o Palmeiras precisa encontrar alguém no mercado com capacidade para repor um ídolo da torcida. Sem esta segunda parte, o clube fará de tudo para não vender o camisa 7, mesmo se ele, de fato, disser que sua vontade é ir embora.

Bernard, que deixou o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, é um jogador há anos na pauta palmeirense, mas conversa com times da Europa e China, mercados mais fortes financeiramente. Sua contratação, portanto, não é considerada uma possibilidade hoje.

O Palmeiras tem encontrado dificuldade para encontrar reforços nesta janela. Muitos jogadores na Série A já atingiram a marca de sete jogos e não podem se transferir para outras equipes, e o mercado internacional está caro. O presidente Maurício Galiotte avisou que não fará loucuras com contratações.

Dudu foi contratado em 2015 e custou 6 milhões de euros. Ele o clube tinham um acordo de que se viesse uma proposta pelo dobro deste valor, fariam negócio. O Changchun Yatai, também da China, chegou à quantia em janeiro, mas o clube deu um aumento para o jogador e renovou seu contrato até 2022 para segurá-lo. Em 2017, ele também havia recebido um aumento.

Gustavo

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas