Para analista, favoritismo no Brasileirão independe da fórmula de disputa

Diante da indefinição de quando a bola voltará a rolar por conta da pandemia de coronavírus, existe a possibilidade, apesar do diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio, garantir a manutenção das 38 rodadas, de o Campeonato Brasileiro, em 2020, deixar a fórmula dos pontos corridos e ser disputado com era até 2002, ou seja, com uma fase classificatória de turno único e, na sequências, realizações de vários mata-mata para se definir o campeão. Neste domingo, em uma videoconferência no Uol Esporte, da qual também participaram Eduardo Tironi, Arnaldo Ribeiro e Juca Kfouri, o analista Mauro Cezar Pereira disse que, independente da fórmula escolhida, não há há qualquer mudança em relação a se apontar o favorito ao título, Para o analista, o Flamengo segue sendo o grande candidato a levar a taça.

“Se virarem a mesa e fizerem o turno único ou mata-mata, o Flamengo vai ser favorito do mesmo jeito. Então até essa tentativa de alguns de tentar ser mais competitivo em campo, nivelando por baixo a disputa tecnicamente, ela é absolutamente tacanha”, disse o comentarista, que, de forma irônica, enumerou as condições necessárias para o Rubro-Negro frustrar as suas expectativas.

“A não ser que o Jesus vá para Portugal, que o Arrascaeta queira parar de jogar futebol, que o Gabigol entre em depressão e não faça mais gols, que o Bruno Henrique resolva fazer outra coisa da vida, aí pode ser que o Flamengo fique fraco, mas com o time atual e com o técnico atual, vai ser favorito do mesmo jeito”, declarou o jornalista.

Ainda durante a videoconferência, Mauro Cézar Pereira aproveitou para criticar uma possível omissão da CBF quanto ao futuro da temporada do futebol nacional e a uma certa subserviência dos clubes, especialmente aqueles que, segundo ele, desejam ter qualquer tipo de oportunidade para acabar com a soberania do Flamengo.

“Espanta a omissão dos dirigentes e da CBF. Semana passada, o Walter Feldman, que é o secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol, deu uma entrevista no SporTV: ‘Estamos esperando, faremos uma reunião’. É tempo perdido. O risco vai aumentar e os clubes, subservientes e omissos, estão preocupados com nada, pelo jeito, ou preocupados em mudar o regulamento do Brasileirão para terem uma chancezinha”, finalizou.

A partir da próxima quarta-feira, 1º de abril, os clubes darão férias de 20 dias aos jogadores. A tendência é que, em meados de maio, os Estaduais sejam reiniciados e o Brasileirão comece apenas em junho.

Related articles

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Share article

Latest articles

Newsletter

Subscribe to stay updated.