Moisés, Dracena e Antonio Carlos reclamam do critério do arbitro no gol mal anulado e falam em buscar classificação

Moisés:

– Para mim, ele erra duas vezes: ao marcar a falta e de maneira errada. Vou ser repetitivo: mas falaram que o lance duvidoso segue e ele analisa depois. Quando ele viu que terminaria em gol, ele apita. Ou gol ou iria para fora, não custava ele esperar. Quanto a isso precisamos ficar bem atentos.

Moisés:

– Dominamos o jogo todo, fizemos até o gol, mas pela infelicidade do árbitro, de não esperar o lance terminar para analisar, não adianta falar disso. Temos de manter o nosso foco, está aberto. Para gente, já passou. Reclamamos ali, sem falar muito porque podemos ser punidos. Cobramos porque foi nos passado antes do jogo a forma como agir. Passaram algo e não cumpriram da forma correta. Desde que o VAR começou, foi falado que o lance duvidoso segue e depois eles revisam. Cruzeiro sai na frente, mas estamos muito vivos.

Antonio Carlos voltou a falar de arbitragem, mas pediu para o time olhar para frente em busca de reverter o resultado:

– Não chegou a se desculpar, mas ele estava muito consciente, muito certo de que tinha sido falta, e eu acho que todos vocês viram que não foi falta, então realmente fomos prejudicados, mas já passou, agora temos que trabalhar bastante para pegar o Bahia, e depois chegar forte para tentar reverter esse placar lá no Mineirão.

Antonio Carlos, apesar da chateação, se disse confiante pela partida de volta:

“A gente está atento, a gente está vivo, e a gente vai reverter esse resultado lá sim. A gente vai trabalhar durante a semana, a gente tem um período para trabalhar, a gente pega o Bahia no domingo, primeiro o Bahia, a sequência e a gente vai trabalhando, porque estamos vivos, e a gente pode sim conquistar a vitória e eliminar o Cruzeiro”

Edu Dracena:

– Poderia ter mudado de repente uma classificação (o erro). O time lutou, batalhou, tivemos inúmeras chances de chutar uma bola ou outra. Lance capital que pode nos custar uma classificação. No início do jogo, foram no vestiário e recomendaram que não parassem o lance, porque o VAR iria auxiliar o árbitro. Seguimos na jogada. Ele se precipitou no apito. De repente, prejudicou bastante o Palmeiras. É lógico que muitos vão falar do árbitro, mas foi um bom jogo. Infelizmente, tomamos o gol. Mesmo se a gente tivesse ganhado, não falaríamos que estaria definido. O Palmeiras tem de estar tranquilo para jogar, não podemos entrar na pilha. Em alguns momentos, entramos na pilha querendo acelerar.

 

Por: Gustavo Henrique

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.