Mister André Teixeira

André Teixeira, o sonho de criança, hoje é sua realidade, ser treinador de uma equipe de futebol!

Hoje a entrevista é com o Mister André Teixeira, mas que também é muito conhecido pelo seu apelido de “Cuquinho”. André contou sobre a relação dele com o futebol. Uma história que começou quando ele era menino com a bola nos pés e que na adolescência se tornou uma paixão pelas táticas, esquemas e pela prancheta de mister. Ele ainda relata sobre a importância que a família tem na sua trajetória profissional. Por fim, o treinador faz um resumo sobre os trabalhos desenvolvidos e revela sobre a rotina, curiosidades e desafios da profissão. Acompanhe abaixo a entrevista:

Por, Fabrício Rocha e introdução de Luis Felipe Sanzovo

Fabrício: Boa tarde Mister, explique um pouco sobre o nome Cuquinho, que é conhecido no meio do futebol?

Mister André e seu ambiente preferido, na sua sala de estudos de jogos e táticas.

  Mister André: Boa tarde Fabrício, o nome Cuquinho pelo que sou conhecido tem duas razões, uma é por ser alcunha desde de pequeno, dado pela minha Mãe, a outra, é que utilizo no futebol, desde que comecei o meu percurso, como homenagem a Ela, pois faleceu ainda era muito bebê e como tal, ninguém soube o porquê do apelido de Cuquinho dado por Ela, por isso como homenagem utilizo no futebol.

Fabrício: Como é o seu dia-dia como treinador de futebol? Quantas horas você trabalha por dia?

Mister André: Bem, cada treinador têm o seu dia-dia, o meu é muito na base da correria (risos), pois tenho uma profissão a parte do futebol e saio de lá para o mundo do futebol, que é para mim uma paixão, um prazer, costumo dizer que pagava para ser treinador de futebol (risos). A cerca de quantas horas, é difícil determinar, pois dedico muitas horas do sai, estou sempre no futebol, na minha cabeça durante o dia, é um mundo paralelo, a onde adentro e saio constantemente. Não são só as horas no futebol (treinos e jogos), são também as horas fora, em casa, em 4 paredes, por isso é complicado determinar, mas se tivesse de definir diria 24 horas por dia (risos).

Fabrício: Como se deu o início da sua carreira no futebol?

Mister na beira do gramado, comandando a equipe do Clube Oriental de Lisboa.

Mister André: Começou aos 14 anos Fabrício, a paixão já existia desde pequeno, mas por volta dessa idade tomei a decisão de estudar e evoluir no mundo do futebol como treinador de futebol, observando equipes de seniores e lendo muito, umas das primeiras equipas que acompanhei nessa idade, foi o Clube Atlético Portugal, que era treinado por António Pereira, o mestre “Toni”, aprendi muito a observar essa equipe de seniores. O percurso começou ainda aos 17 anos, no Clube de Futebol “Os Belenenses”, a onde comecei como treinador de GK, Recuperador Físico, Técnico de Estatísticas e até Adjunto, tudo o que era função e Eu aceitava e isso me deu muita experiência e aprendizagens. Ainda com 18 anos, acompanhava escalões de iniciados e juniores do Campeonato Nacional, observava equipes seniores de clube como, o nosso Oriental, enquanto aprendia e estudava cada etapa do jovem jogador, na sua idade e escalão na formação de futebol 5, 7 e 9 até futebol de 11. Nestes 10 anos de percurso tive em Clubes respeitados na formação de jovens jogadores, a onde deixei sempre uma porta aberta e isso é importante, como AC Milan, CIF, EA SPORTING CP, Damaiense, ADCEO e até ao clube pai (a onde eu comecei os meus passos), O CF “Os Belenenses”, realizando várias funções, trabalho esse com treinadores experientes, bons mentores, pela sua idade, como Jorge Castelo, João Nunes, Carlos Bruno entre outros, o mentor mais novo tinha 45 anos, e Eu 18 anos (risos). Posso dizer que foi um percurso rico até agora, que fez de mim o treinador que sou, é graças aos mentores e clubes por onde passei e as pessoas que conheci no futebol, a quais agradeço, mesmo não conseguindo mencionar todos aqui!

Agora é continuar aprendendo e evoluindo, até a próxima etapa: Futebol Sénior!

Fabrício: Como você divide seu tempo entre família e o futebol? Você é casado, tem filhos?

Mister André: Bem não é fácil, pois o futebol ocupa muito tempo e dedicação de mim, mas tento sempre que posso, passar tempo em casa com a família, que é importante, porque acaba por ser um relaxar do stress do dia-dia. Não tenho filhos infelizmente e não sou casado, pois sou solteiro (risos), e sobre da localização do meu clube, Marvila, não moro lá, mas conheço como a palma da mão e isso na minha opinião, é muito importante!

Fabrício: A quantos anos já é treinador? Como é ser treinador do seu clube atual e qual o objetivo futuro nele? Em que momento do jogo você fica mais nervoso, no início, durante ou no final? E como você se sente quando a sua equipe não consegue sair vencedora da partida?

Mister André, do menino sonhador ao homem promissor do esporte.

Mister André: O meu percurso no futebol, já leva quase 10 anos 2010-2020, ser treinador neste clube, é um sonho acontecer, pois desde que comecei o meu percurso, afirmei que iria orientar um dia o Oriental e aqui estou e quero chegar ao plantel de seniores como treinador principal, colocar o Oriental na Primeira Liga de Futebol Português um dia se Deus quiser (olhar ao céu). Bem nervoso, fico sempre no início, já levo mais de Mil jogos realizados e continuo sempre com o frio na barriga em cada início de jogo, mas passa no decorrer do mesmo, acerca do sentimento que reina quando não ganhamos, é uma mistura de azia e raiva, como vontade, quer fazer e melhorar, pois cada derrota ensina uma lição, cabe ao treinador ouvir e perceber e utilizar essa lição.

Fabrício: Quais pontos positivos e negativos de sua profissão? Como é o seu relacionamento com a torcida? Ela faz muita pressão sobre as suas decisões?

Mister André: Sou um treinador que não vê pontos negativos na sua paixão, é uma benção fazemos o que amamos hoje em dia, os pontos positivos, é saber que mesmo nos dias mais difíceis, há sempre o momento com a equipe e com o clube que me deixa muita alegria e satisfação, como disse, amo o que faço e procuro um dia, só viver desse amor, de manhã a noite!

Fabrício: Você prefere trabalhar com jogadores mais velhos ou com jovens?

Mister André: Na verdade Fabrício, para mim, oriento qualquer idade, mas tenho metas e etapas definidas na minha carreira, primeiro formar e potencializar jovens jogadores e depois entre os 30-32 anos vou começar a minha carreira no futebol sênior, que espero ser no meu clube: Clube Oriental de Lisboa, por isso não é uma questão de preferir, mas respeitar o mundo, o patamar e a idade dos jogadores que tens na mão, na tua responsabilidade, não fazendo deles um trampolim para outras metas, porque ser treinador de formação, é uma grande responsabilidade, isto não é um jogo de futebol de PC (risos).

Fabrício: De quanto tempo você precisa para prepara um time taticamente? Como prepara as suas estratégias e que esquema considera o melhor? o que fazer se forem expulsos três jogadores de ataque?

Mister André: Fabrício, preparar uma equipe taticamente é fácil, prepara uma ideia, modelo de jogo e habito de estratégias, isso sim leva tempo, já nos sistemas táticos, são apenas números numa organização posicional, o que interessa e é importante, é o modelo e estratégias nesse sistema utilizado. Nuca me aconteceu, ensino e planto na minha equipe, princípios e valores, como mentalidade e inteligência emocional em campo e isso ajuda.

Fabrício: Se você não fosse técnico de futebol, seria o que?

Mister André: É difícil dizer, neste momento, porque amo o que me dá prazer, ensinar e orientar como treinador de futebol, tudo o que envolve, gestão e liderança de uma equipe, o raciocínio que obriga a ter decisões difíceis a ser tomadas. Mas a ter de responder, diria Psicólogo, porque fascina-me a mente humana, perceber como pensa e age, em conformidade com a sua mente, é algo que estudo desde de muito jovem.

Fabrício: André, muito obrigado por nos receber, obrigado por nos proporcionar essa bela entrevista e abri um tempo para conosco.

Mister André: Eu que agradeço a sua coluna Último Apito e a Papo&Bola em querer mostrar o meu percurso como treinador, ou melhor como Mister (risos) e obrigado a ti Fabrício Rocha, pela entrevista, muito sucesso futuro (piscar de olho).

AQUI ESTÃO ALGUMAS FOTOS CEDIDAS PELO MISTER ANDRÉ

Mister André, preparando sua equipe.

 

Mister André Teixiera
Mister André e seu dia-dia.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler mais sobre isso