Landim justifica silêncio do Flamengo após tragédia no Ninho: “O foco principal era as famílias”

Demorou mais de duas semanas, mas o Flamengo, enfim, respondeu publicamente perguntas sobre a tragédia que deixou 10 garotos mortos no Ninho do Urubu. O presidente do clube Rodolfo Landim, junto do vice-presidente Rodrigo Dunshee e do CEO Reinaldo Belotti, abriu a sede da Gávea para imprensa, neste domingo. Segundo Landim, o tempo de silêncio foi usado para reunir informações que o clube não teve acesso.

– Temos uma preocupação muito grande com a qualidade de informações que passaríamos. Estávamos há 30 dias na gestão. Uma série de perguntas que não poderíamos responder. Espero poder responder tudo. O foco principal era as famílias. Nossa maior concentração de atenção foi nelas. Procuramos cuidar delas, desde o dia da tragédia. A maior dos 123 anos de Flamengo.

O Flamengo ficou exatos 16 dias indisponível para esclarecer dúvidas da imprensa e da opinião pública. Durante duas semanas, o clube optou por comunicar-se por notas oficiais, além de quatro pronunciamentos – dois do presidente Landim, um do vice-presidente Rodrigo Dunshee e outro do CEO Reinaldo Belotti. O VP foi o único que se aventurou a responder os jornalistas, mas se irritou com questionamentos e abandonou a entrevista.

Nesse meio tempo, três jovens foram internados e dois já deixaram o hospital. O clube foi intimado pelas autoridades para dar explicações e teve o CT interditado para menores de idade pela Justiça. O Ninho continua aberto para trabalhos do time profissional, apesar de ainda não contar com o alvará do Corpo de Bombeiros e acumular notificações da Prefeitura do Rio.

Gustavo

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas