GreNal 413 – Grêmio 2×1 Internacional.

0

O Grenal 413, vencido pelo Grêmio por 2 a 1, teve dois tempos bem distintos. Nos primeiros movimentos dos times no gramado do Beira-Rio passava a impressão que seria um jogo igual. Porém, algo não ia bem. Tinha-se a clara impressão que o Grêmio aos poucos ia tomando conta das ações, com maior posse de bola, chegadas mais perigosas próximas ao gol de Marcelo Lomba. Até que aos 23 minutos, em um contra golpe, levado pelo lateral Cortez, que cruza a bola para o meio da área colorada para que Luan completasse para as redes: 1 a 0.

Luan, jogador do Grêmio, comemora seu gol durante partida contra o Internacional, válida pela 6ª rodada do Campeonato Gaúcho 2018. (Foto: Roberto Vinicius/Agafoto)
O gol gremista pareceu abalar o time colorado. A partir dele, a marcação defensiva do Inter não achou os jogadores do Grêmio que “pintavam e bordavam”. O segundo gol que parecia, de inevitável tornou-se real: após entrada pela lateral da área colorada, diga-se de passagem pelo mesmo lado em que ocorrera o cruzamento do primeiro gol, o ágil Everton é derrubado por Victor Cuesta. Pênalti. Luan: 2 a 0.
Apartir deste segundo gol, o temor por algo pior – outra goleada? Será? – tomou conta dos corações colorados onde quer que estivessem. Os atacantes gremistas ainda perderiam outras oportunidades de gol até o fim da primeira etapa.
No retorno para o segundo tempo, os times pareciam ter entrado num acordo: “Vamos trocar de papéis? Ok!”. Tinha-se de um lado, o Grêmio esperando, tocando a bola pro lado; de outro, o Inter jogando por um prato de comida. O gol colorado ocorre logo no primeiro escanteio: Rodrigo Dourado cabeceia e a bola desvia em um jogador gremista. Gol!
Rodrigo Dourado, jogador do Internacional, comemora seu gol durante partida contra o Grêmio, válida pela 6ª rodada do Campeonato Gaúcho 2018. (Foto: Roberto Vinicius/Agafoto)
O que se viu até o fim do jogo foi o Inter no espaço entre a intermediária tricolor e a linha de fundo da goleira de Marcelo Grohe. Uma blitze colorada e uma profusão de chances de ataque desperdiçadas pelos mais diversos atacantes colorados. O Grêmio resumiu-se a esporádicos lances de contra ataque, que eram evitados pelo posicionamento dos jogadores do Inter no meio de campo.
A postura descompromissada do Inter no início do jogo cobrou um preço alto ao ser enfrentada com um Grêmio aguerrido e determinado. As perguntas que ficam é: Como uma equipe entra assim no principal jogo do futebol gaúcho? e porque estes mesmos jogadores voltam com toda a vontade possível na etapa final?
Agora, teremos outros dois clássicos pelas quartas de final. Que vença o melhor e que desta vez seja o Internacional.
Abraços,
Ulisses B. dos Santos
@prof_colorado

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies