Galiotte vê ‘pressão estratosférica’ do Inter e cobra melhora da arbitragem

0

A seis jogos do fim do Campeonato Brasileiro, o líder Palmeiras tem o Internacional como maior rival na briga pelo título, com cinco pontos de vantagem. A disputa entre os clubes vai além do campo: depois de o Colorado ter vencido o Atlético-PR na rodada passada graças a um pênalti inexistente nos acréscimos, o Verdão respondeu às reclamações sobre arbitragem.

Antes do último jogo, a diretoria gaúcha atacou que estavam tentando tirar o Inter da briga pela taça, para deixá-la entre Palmeiras e Flamengo. Para o presidente alviverde, Maurício Galiotte, o discurso é parte de uma “pressão estratosférica” feita pelo Colorado em cima dos árbitros neste fim de ano.

– O que eu realmente espero da arbitragem na reta final do Brasileiro é que não interfira no jogo, no campeonato. Se isto ocorrer, todos estaremos satisfeitos, não só o Palmeiras. A arbitragem tem de apitar sem prejudicar ou beneficiar um ou outro – disse o dirigente, ao LANCE!.

– A arbitragem tem tido muitas falhas, sofrido muita pressão. O Internacional tem feito uma pressão estratosférica na arbitragem, e não vamos poder aceitar esta situação. Futebol se ganha dentro de campo. Ninguém vai ganhar o Campeonato Brasileiro no grito. Ganha-se dentro de campo. A gente espera que a arbitragem não interfira no resultado final – acrescentou.

O incômodo de Galiotte se dá não apenas por considerar que o Palmeiras já foi mais prejudicado, mas também pelo levantamento da CBF que colocou o Inter como o candidato a título que teve mais erros de arbitragem a seu favor, pelo menos até a 27ª rodada. E com o pênalti no último domingo no Beira-Rio, a distância do Verdão para o rival, que poderia ser de sete pontos, segue nos cinco – o Flamengo é o terceiro colocado, seis pontos atrás.

Apesar deste embate, os dois presidentes se uniram quando o assunto foi o VAR. Nesta semana, Marcelo Medeiros, mandatário do Inter, foi à CBF com um manifesto assinado pela maioria dos clubes da Série A pedindo a implementação do árbitro de vídeo ainda neste ano. Galiotte apoiou a ideia.

– Fui procurado pelo Marcelo, presidente do Inter, dizendo ser interessante uma mobilização para implementar o VAR imediatamente. O Palmeiras é totalmente a favor do VAR, respondi que sim, aderi ao movimento que ele levou à CBF. Infelizmente, a CBF já disse que não será possível nesta reta final, porque demanda um trabalho que não está preparado para os próximos jogos. Nosso posicionamento é de que a gente concorda e que seja implementado o mais rápido possível – explicou.

– O Palmeiras sempre foi a favor do VAR, vocês sabem disso. Depois do debate na CBF, a votação (dos clubes) e o Palmeiras foi a favor, voltei à CBF, falei do VAR, da importância de implementar a tecnologia no futebol. Temos de pensar sempre em ter um futebol mais justo. Ainda que seja um momento de adaptação, é um caminho sem volta – completou.

Tanto Palmeiras quanto Internacional jogam a 33ª rodada no domingo, às 17h: os paulistas visitam o Atlético-MG, e os gaúchos duelam com o Ceará. O jogo do Verdão será apitado por Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO), que já anulou um gol legal de Gustavo Gómez contra o Vasco, e no Choque-Rei do Morumbi não expulsou Sidão, quando o goleiro tocou a bola com a mão fora da área.

Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA) é o árbitro do jogo contra o Inter e também teve problemas com o Verdão: marcou pênalti de Gustavo Gómez contra o Cruzeiro após um toque de mão do zagueiro bem fora da área. Apesar do histórico dos dois, o presidente palmeirense torce por boas atuações.

– A avaliação de arbitragem, treinamento e escala cabe ao departamento de arbitragem da CBF. O Palmeiras pede os árbitros mais bem preparados, experientes e prontos para a reta final do campeonato. Independente do nome, esperamos bons trabalhos, que apitem o jogo corretamente – completou.

Gustavo

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas