Edenílson e Ricardo Oliveira dão entrevista ao Bem Amigos, do Sportv

Após a vitória por 1 a 0 fora de casa do Internacional sobre o Atlético-MG, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, Edenílson, do Inter, e Ricardo Oliveira, do Galo, participaram do programa “Bem Amigos” do Sportv. O volante colorado falou sobre a jogada do gol. Já o centroavante atleticano falou sobre os erros que o time mineiro vem cometendo na competição nacional.
Edenílson: “A gente sabia que ia ser um jogo difícil e decidido em detalhes. A gente já havia tentado bater duas faltas rápidas no primeiro tempo e o árbitro não tinha deixado. Nessa ele deixou bater rápido e nosso time foi feliz ali na jogada do gol”, explicou o volante.
Ricardo Oliveira: “A minha indignação foi no erro que nós cometemos mais uma vez. Erros consecutivos que tem nos prejudicado bastante dentro do campeonato. Fizemos uma soma bem baixa. Poderíamos estar brigando lá em cima se não tivéssemos cometidos erros assim. Nos resta trabalhar bastante, tentar corrigir esses erros pra não nos prejudicar mais daqui pra frente dentro da competição. No futebol profissional não podemos cometer erros assim”, declarou o centroavante.
O jogador do Atlético-MG voltou a falar dos erros e explicou a situação. André Rizek, um dos convidados do programa nesta segunda-feira, perguntou ainda como o atleta vê o jovem Gabriel Jesus na Seleção Brasileira. Ricardo Oliveira também falou sobre Pedro, do Fluminense, artilheiro do Campeonato Brasileiro. Confira a resposta:
“A gente vem cometendo esses erros de (não) ficar na frente da bola ou ter mais atenção na hora que o cara for bater. Nós cometemos esses erros contra o Grêmio no Sul e perdemos, nós cometemos contra o Palmeiras em São Paulo e perdemos o jogo, nós estávamos vencendo o primeiro jogo do campeonato, contra o Vasco, cometemos erros assim e perdemos o jogo, voltamos a cometer contra o Bahia e hoje novamente. São erros consecutivos, que tem nos prejudicado bastante. A gente que está querendo brigar na parte alta da tabela não podemos permitir cometer esses erros de forma consecutiva”, lamentou Ricardo Oliveira.
“Eu acho que ela (Seleção Brasileira) está muito bem representada. O Gabriel Jesus foi uma unanimidade entre todos antes da Copa do Mundo. Fez uma excelente eliminatória e infelizmente na copa ele não fez gol, mas fez um trabalho excepcional em prol do coletivo e eu vejo uma posição muito aberta”.
“Feliz pelo surgimento do Pedro, do Fluminense, que é um jovem talento e tem essa característica de 9. A gente sempre vem batendo nessa tecla. O Casagrande está aí, que sempre foi um excecional da posição, sabe muito em que já respondi inúmeras vezes sobre essa pergunta, mas acredito que esse terreno brasileiro continua dando o resultado que se espera. Continua surgindo muitos talentos. Eu obviamente, como centroavante, que já vou passando de uma geração torço para que não morra esse (essa posição) centroavante. Esse cara que é fundamental para o time. Ontem assisti o jogo do Fluminense, o Pedro tem muita técnica e sabe fazer gol de cabeça, de pé direito, de pé esquerdo e finaliza muito bem. Vejo o futuro da Seleção Brasileira em bons pés. Levar o número 9 de uma seleção Brasileria é uma responsabilidade muito grande”, finalizou o jogador do Atlético-MG.
Antes de finalizar a conversa, Edenílson também comentou sobre a condição do gramado após a chuva de granizo:
“Uma situação bem atípica. Eu particularmente não tinha passado por uma situação assim, com essa chuva forte. A gente procurou se manter concentrados na partida. Sabíamos que provavelmente jogo seria retomado. No lance do gol eu só pensei em roubar um pouco de tempo do Victor para ele não poder se preparar pro chute e acabei sendo feliz”, finalizou o camisa 8 do Internacional.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies