Publicidade

Com pênalti perdido e gol anulado Cruzeiro empata com Sport na Ilha do Retiro

Publicidade

A vitória era importante para o Cruzeiro se aproximar do G-6. E para o Sport deixar a zona do rebaixamento. Mas nenhum time conseguiu o objetivo porque não saíram de um empate sem gols na Ilha do Retiro. A Raposa continua na sétima colocação, com 33 pontos. O Leão agora soma 24, em 17º. Além de um gol mal anulado do time mineiro, a partida contou com uma defesa de pênalti de Magrão, que parou a cobrança de Raniel – foi a 33ª vez que ele pegou uma penalidade com a camisa rubro-negra.

O Sport buscou o ataque no início do jogo, mas sem tanta organização. O time penava para conseguir criar e chegava nas bolas aéreas – foi assim três vezes com Durval. O Cruzeiro começou a se organizar e foi tomando espaço no campo. Passou a ser melhor no jogo. Ainda teve um gol mal anulado marcado por Barcos e uma ótima chance com Mancuello. A Raposa tinha mais controle da bola e era mais disciplinada na marcação. Os donos da casa abusavam de errar principalmente em jogadas individuais.

De novo, o Sport começou melhor. Mais presente no campo de ataque e marcando com linhas adiantadas, pressionando o Cruzeiro no campo defensivo dos mineiros. A primeira boa chance foi do Leão, em um chute de fora da área dado por Rogério. Na base da vontade, o time rubro-negro pressionou muito. O Cruzeiro, por sua vez, estava visivelmente montado para os contra-ataque, mas não conseguiu encaixar quase nenhum. Magrão só fez uma defesa em um desvio de Raniel – o primeiro chute da Raposa foi este, com 32 minutos. Mas depois o Cruzeiro teve tudo o que queria. Em um desses contra-ataques, Raniel fez uma boa jogada e tocou para David, que foi derrubado por Raul Prata. Pênalti. Mas Magrão defendeu e se tornou o herói rubro-negro.

O Sport volta a jogar às 19h do próximo domingo, quando enfrenta o Corinthians em São Paulo. Já o Cruzeiro joga no mesmo dia, só que mais cedo, às 16h, contra o rival Atlético-MG.

O LANCE POLÊMICO E O PEDIDO DE DESCULPAS DO ÁRBITRO

A conta poderia ser um pouco melhor, na visão do técnico Mano Menezes. Isso porque o clube reclama de seis gols/lances mal anulados na competição. Após o empate por 0 a 0 com o Sport, no Recife, o técnico lamentou o gol legal não validado. A arbitragem marcou impedimento de Barcos, porém, o argentino estava em condição legal.

– Vamos falar objetivamente de futebol para não fazer tese. Quantos gols legais o Cruzeiro teve anulados na competição? Pode ter certeza que são seis. Põe esses seis na artilharia, considerando o fato que você faz 1 a 0 no primeiro tempo e abre a possibilidade de fazer mais. A equipe está produzindo, criando. Eu só pediria que deixasse a gente fazer os gols que estamos fazendo. Só dessem validade a eles. Depois voltamos a conversar.

O treinador do Cruzeiro revelou um pedido de desculpas do árbitro Vinicius Gonçalves Araújo, que conversou com o técnico e alguns jogadores do Cruzeiro sobre a marcação.

– Ele pediu desculpas a mim também, quando estava saindo do gramado. Ele fez uma boa arbitragem, mas que fica manchada com um lance capital do jogo. Falei para ele que chateia a gente é o acumulado de muitos gols legais que são anulados. Um gol desse muda a trajetória de uma partida, então você submete o adversário a uma pressão. Lutamos. Fizemos um bom jogo e desperdiçamos uma penalidade máxima. Vamos torcer que os gols perdidos sejam guardados para os momentos importantes que teremos pela frente.

Um fato que não pode passar em branco é que o time não criou muito. Quando teve chance, não foi tão feliz, como no pênalti desperdiçado por Raniel aos 39 minutos do segundo tempo.

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas