Com pênalti perdido e gol anulado Cruzeiro empata com Sport na Ilha do Retiro

A vitória era importante para o Cruzeiro se aproximar do G-6. E para o Sport deixar a zona do rebaixamento. Mas nenhum time conseguiu o objetivo porque não saíram de um empate sem gols na Ilha do Retiro. A Raposa continua na sétima colocação, com 33 pontos. O Leão agora soma 24, em 17º. Além de um gol mal anulado do time mineiro, a partida contou com uma defesa de pênalti de Magrão, que parou a cobrança de Raniel – foi a 33ª vez que ele pegou uma penalidade com a camisa rubro-negra.

O Sport buscou o ataque no início do jogo, mas sem tanta organização. O time penava para conseguir criar e chegava nas bolas aéreas – foi assim três vezes com Durval. O Cruzeiro começou a se organizar e foi tomando espaço no campo. Passou a ser melhor no jogo. Ainda teve um gol mal anulado marcado por Barcos e uma ótima chance com Mancuello. A Raposa tinha mais controle da bola e era mais disciplinada na marcação. Os donos da casa abusavam de errar principalmente em jogadas individuais.

De novo, o Sport começou melhor. Mais presente no campo de ataque e marcando com linhas adiantadas, pressionando o Cruzeiro no campo defensivo dos mineiros. A primeira boa chance foi do Leão, em um chute de fora da área dado por Rogério. Na base da vontade, o time rubro-negro pressionou muito. O Cruzeiro, por sua vez, estava visivelmente montado para os contra-ataque, mas não conseguiu encaixar quase nenhum. Magrão só fez uma defesa em um desvio de Raniel – o primeiro chute da Raposa foi este, com 32 minutos. Mas depois o Cruzeiro teve tudo o que queria. Em um desses contra-ataques, Raniel fez uma boa jogada e tocou para David, que foi derrubado por Raul Prata. Pênalti. Mas Magrão defendeu e se tornou o herói rubro-negro.

O Sport volta a jogar às 19h do próximo domingo, quando enfrenta o Corinthians em São Paulo. Já o Cruzeiro joga no mesmo dia, só que mais cedo, às 16h, contra o rival Atlético-MG.

O LANCE POLÊMICO E O PEDIDO DE DESCULPAS DO ÁRBITRO

A conta poderia ser um pouco melhor, na visão do técnico Mano Menezes. Isso porque o clube reclama de seis gols/lances mal anulados na competição. Após o empate por 0 a 0 com o Sport, no Recife, o técnico lamentou o gol legal não validado. A arbitragem marcou impedimento de Barcos, porém, o argentino estava em condição legal.

– Vamos falar objetivamente de futebol para não fazer tese. Quantos gols legais o Cruzeiro teve anulados na competição? Pode ter certeza que são seis. Põe esses seis na artilharia, considerando o fato que você faz 1 a 0 no primeiro tempo e abre a possibilidade de fazer mais. A equipe está produzindo, criando. Eu só pediria que deixasse a gente fazer os gols que estamos fazendo. Só dessem validade a eles. Depois voltamos a conversar.

O treinador do Cruzeiro revelou um pedido de desculpas do árbitro Vinicius Gonçalves Araújo, que conversou com o técnico e alguns jogadores do Cruzeiro sobre a marcação.

– Ele pediu desculpas a mim também, quando estava saindo do gramado. Ele fez uma boa arbitragem, mas que fica manchada com um lance capital do jogo. Falei para ele que chateia a gente é o acumulado de muitos gols legais que são anulados. Um gol desse muda a trajetória de uma partida, então você submete o adversário a uma pressão. Lutamos. Fizemos um bom jogo e desperdiçamos uma penalidade máxima. Vamos torcer que os gols perdidos sejam guardados para os momentos importantes que teremos pela frente.

Um fato que não pode passar em branco é que o time não criou muito. Quando teve chance, não foi tão feliz, como no pênalti desperdiçado por Raniel aos 39 minutos do segundo tempo.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies