Publicidade

Coletiva Felipão – Palmeiras 2 a 0 Bragantino: Paulista 2019

0 0

Felipão fala sobre a tragédia no Ninho do Urubu: “Eu quero me solidarizar com os país, com os meninos que faleceram… muito triste. A gente nada poder fazer em termo de ajuda aquele pessoa nos deixa um pouco sem ação. Mas nós do Palmeiras, atleta, comissão técnica, o que pudemos fazer em relação aos pais, ao Flamengo, faremos. É uma tragédia, mas nós vamos tentar superar”

Felipão fala sobre a morte do jornalista Ricardo Boechat: “Há 10 dias atrás eu tive a oportunidade de dizer em uma visita a Renata lá no nosso centro técnico que eu era um fã de Boechat. Se eu quisesse escutar coisas em termo de notícias com qualidade, escutava o Boechat. É tão ruim que a gente não se manifeste publicamente de alguém que goste, e depois esse alguém venha a falecer. Hoje eu digo, mas digo para uma pessoa que aqui não está. Parece que me falta alguma coisa. Eu queria mandar meus abraços e pêsames para as famílias. Isso nos ensina… se tivermos algo para falar para alguém, temos que falar mesmo. É um sentimento que carrego comigo hoje, muito triste”

Felipão: “A apresentação do Palmeiras foi consistente o tempo todo, teve a identidade do Palmeiras o tempo todo. Isso me deixa satisfeito”

Felipão: “Dudu? Sabemos o que ele joga. Fico até surpreso com a cobrança da torcida do Palmeiras. A torcida está cobrando nas redes sociais porque perdemos um jogos, nos últimos quinze jogos perdemos dois, então menos, menos. A torcida pode cobrar, mas um pouco menos”

Felipão fala sobre Borja: “Gostei da apresentação, da consistência da equipe. O segundo gol foi praticamente uma jogada dele. Uma ou outra bola o Borja não concluiu corretamente, mas durante o jogo se portou muito bem. A conversa com o Carlos Queiroz, que hoje é o treinador da Colômbia, foi boa. Até porque falamos de outros jogadores. Conversamos sobre o Mina. A conversa do Carlos é para ele ter uma noção de como é o Borja no dia a dia. Acho que o Borja mostrou que é um bom jogador, em determinados momentos pode errar um gol, mas não acredito que exista centroavante que não erre gol. A atitude do Borja foi muito melhor hoje do que em qualquer outro jogo”

Felipão fala sobre o rodízio: “Eu gero emprego para vocês (risos). Eles sabiam que os seis primeiros jogos jogariam três uma equipe, três outra e só um ou outro repetiria. A partir do sétimo jogo, onde vou trocar novamente, as modificações serão bem menores. Três ou duas, dependendo dos cartões, lesões e tempos”

Felipão fala sobre a advertência que recebeu do TJD-SP: “Eu não aceito. Eu não falei mal de ninguém. Aliás, eu elogiei. Mas alguns não entendem como elogio. Quando falaram do Deyverson eu disse que o árbitro estava certo, tinha que expulsar três vezes. Se eu tiver a oportunidade de entrar com outro processo, para que eu seja absolvido, vou entrar. Não mereço ser advertido, de jeito nenhum”

Felipão fala sobre Deyverson: “Se ele aprendeu alguma coisa, volta com o status que eu sempre dei a ele. Se não aprendeu, ele não volta não. Não adianta, chega. Se aprendeu, ok. Se dá uma chance, mas tem que ver se aprendeu. Temos setenta jogos no ano ainda, aí não vai dar. Depois vamos esperar as atitudes durante a semana e o mês”

Felipão fala sobre a evolução do time: “Eu acho que hoje foi o primeiro jogo que nós tivemos a identidade do ano passado e uma consistência, tanto defensiva quanto no setor de armação, para conseguir o resultado. Acredito eu que melhoramos bem mais hoje. Vamos ver se no próximo jogo essa consistência continua. Temos que conseguir a evolução de acertar mais nos chutes finais”

Felipão fala sobre a semana cheia de treino: “As correções podem ser feitas com tranquilidade durante a semana. De segunda a quinta podemos exigir dois turnos, fazer uma série de cobranças e correções, para que sejam postas em prática com melhores condições nos jogos. É bom que tenhamos mais duas semanas em condições. Temos jogadores que ainda podem melhorar na organização da equipe, no trabalho da bola, aí vamos ficar novamente uma equipe com qualidade”

Felipão: “Eu estou sempre pedindo desculpas para os jogadores que não consigo inscrever. Tendo 30 vagas é normal, mas 26, para uma equipe que disputa setenta jogos no ano, é difícil. Então sempre peço desculpas para aqueles jogadores, e vai ter que ser assim”

Felipão fala sobre a última vaga no Paulista: “Eu estou pensando. Não posso dizer nada para vocês ainda porque muita coisa pode acontecer. Vou esperando. Vou ver a evolução dos jogadores. O Goulart vem trabalhando bem. O Arthur agora está recuperando, para daqui quem sabe uns oito dias começar a treinar normalmente com a equipe. Vamos esperar”

Felipão fala sobre Zé Rafael: “A torcida pode gostar do A, do B, do C, mas nenhum gosta mais do time do Palmeiras e dos jogadores que eu. Mas tenho que ver detalhes no jogo que são importantes. A nossa chave é bem equilibrada, queremos disputar o Paulista com vontade. Quando eu tiver a oportunidade, o Zé está inscrito e vem treinando bem, vamos usar”

Felipão fala sobre Moisés e Scarpa: “Hoje o Scarpa fez o jogo que queremos do nosso meia. Algumas vezes, no nosso time, não usamos muito nosso meia. É uma herança ainda do ano passado, quando jogávamos quase com três volantes. Então temos que ir acostumando. O Scarpa fez aquilo que o meia tem de fazer, recebendo muitas bolas, participando do jogo, e foi bem. Moisés também está bem. Mas não esqueçam que o Moisés tem três cirurgias, então temos que ir trabalhando com calma. Ele foi importante hoje. Ótimo para mim que tenho esse jogador”

Felipão termina falando sobre Thiago Santos: “O Thiago é um espetáculo de ver jogar, e ninguém se cria com ele. É ótimo. É bonito de ver”

 

 

 

Gustavo

Publicidade

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Conheça nossas políticas