Celso Barros nega contatos com outros técnicos, mas cobra melhora de Diniz

Segundo vice-presidente geral do Fluminense, é possível jogar bonito, desde que os resultados venham.

Garantido, mas pressionado. Esse é o resumo da atual situação de Fernando Diniz como técnico do Fluminense. Em entrevista coletiva no início da tarde desta terça-feira (13) no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, o vice-presidente geral e homem forte do futebol do Tricolor, Celso Barros, negou ter tido contatos com outros profissionais, mas disse que o comandante do elenco profissional vem sendo diariamente avaliado e a sua permanência está, realmente, vinculada aos resultados dentro das quatro linhas.

“Não conversamos com nenhum técnico. Não conversamos com nenhum técnico. Surgiu que a gente falou com Mano, Dorival e Abel. Isso não procede. Diniz é o técnico do Fluminense e está sendo cobrado como todos nós estamos sendo. Os resultados são importantes, você pode jogar lindamente, mas será cobrado se o resultado não vier”, disse Barros, complementando.

“Desde que assumimos, só fizemos seis pontos. Isso tem de mudar. É pontuação de time que será rebaixado. Não acho que temos elenco para estar nessa situação. É preocupante”, explicou.

Celso não quis estabelecer um prazo para decidir pela saída ou não de Diniz, mas lembrou que o treinador não dirige a equipe há pouco tempo.

“Eu não vou condicionar aos próximos dois jogos.Ele é o técnico. Vai continuar o trabalho. Eu fui critico quando, na eleição, fiz uma ponderação por estar a um ponto do Z-4. Disse que estava preocupado. Questionaram-me se não daria tempo ao Diniz. É claro que ele tem tempo. Está aí desde o começo do ano”, resumiu.

Situações de Fabiano e Yony Gonzalez

Acompanhado do diretor-executivo Paulo Angioni, Celso Barros também falou sobre a movimentação do Fluminense no mercado. Segundo o vice-presidente geral, o clube esteve muito perto de anunciar o lateral-direito Fabiano, do Palmeiras, mas que, por conta de uma postura adotada pelo staff do jogador, o negócio não será mais sacramentado.

“Eu liguei para o Alexandre Mattos (dirigente do Palmeiras), com quem me dou muito bem. Ele liberaria, a gente pagaria uma parte do salário. Os empresários disseram que queriam esperar a janela para ver se aparecia algo. Então, não tem interesse mais da nossa parte”, explicou Celso Barros, que revelou a busca incessante por um zagueiro.

“A torcida tem de entender que estamos fazendo um esforço enorme para trazer um”, explicou.

Paralela à luta por reforços, Celso Barros vem trabalhando para manter algumas das principais peças do atual elenco. Uma delas é o atacante colombiano Yony Gonzalez. Na coletiva, o dirigente do Fluminense revelou ter apresentado uma proposta considerada boa e confirmou que irá se reunir com os empresários do atleta.

“Nós fizemos uma proposta para ele. Teremos uma reunião na quinta-feira, acho que fizemos uma boa proposta. Vamos aguardar”, encerrou.

Deixe uma resposta

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies