Após rumores da saída, Palmeiras recusa outra oferta milionária da China por Dudu

De acordo com o clube, a decisão foi tomada por conta do planejamento feito no início da temporada, quando Palmeiras e Dudu renovaram o contrato até o final de 2022.

A direção alviverde exerga Dudu como uma peça-chave para brigar pelos títulos em 2018, principamente a Taça Libertadores. Além disso, o ataque ficaria bastante desfalcado, já que Keno foi vendido para o futebol do Egito e Borja ficará fora por seis semanas por conta de uma cirurgia no joelho direito.

Mesmo assim, havia o temor de que uma oferta salarial muito acima do que o Palmeiras pode pagar hoje pesassem a favor da saída de Dudu. O presidente Maurício Galiotte, porém, descartou vender os direitos econômicos.

Em janeiro, o Changchun Yatai fez uma proposta de 13 milhões de euros pelo atacante. Na ocasião, a oferta foi rejeitada, e o camisa 7 renovou com o Verdão até o fim de 2022.

Ele tem 100% dos direitos econômicos ligados ao clube, mas, em caso de negociação, o clube terá de devolver para Crefisa o valor que a empresa investiu na aquisição de 50% dos direitos econômicos do atleta – cerca de R$ 12,5 milhões na época.

Por: Gustavo Henrique

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.